Na rua, a servir refeições quentes, 365 dias por ano

Almoço de Natal do CASA juntou boa disposição e muita vontade de ajudar

Idosos, jovens, famílias com crianças, portugueses, imigrantes. Com mais ou menos alegria no rosto, o almoço de Natal do CASA cumpriu-se por mais um ano e trouxe a experiência de restaurante a quem mais precisa.

Mesas postas, menus alinhados, a comida do ‘chef’ pronta a servir, voluntários cheios de energia, é tempo de receber os nossos convidados. Abram-se as portas. Hoje é dia de quem mais precisa, de quem nos restantes dias tem de recorrer às refeições quentes distribuídas por nós nas ruas, de quem recebe os nossos cabazes para atravessar o mês sem fome, poder entrar, sentar-se numa mesa e, num ambiente de espírito natalício, ser servido com uma refeição completa e ter um momento de convívio.

rep 1

À espera para servir quem mais precisa estão os nossos voluntários, que mais uma vez dedicaram o seu tempo à nossa causa. Mas, eles não estão cá apenas para servir a refeição. Também ouvem, sentem e dão palavras de alento a quem aqui hoje se senta. Há até tempo para trazer esperança aos nossos convidados, como é o caso do Paulo (nome fictício), que está a dias de ser despejado aos 62 anos, por falta de trabalho e por não saber a quem pedir ajuda. O CASA traz-lhe neste dia não só a esperança de dias melhores, como a resposta prática de um contacto com os nossos técnicos para ajudar a encontrar soluções concretas para si. Ainda assim, Paulo confessa-se deprimido, descrente no sistema e admite que nunca pensou estar sentado num evento como o nosso. 

Tal como o Paulo, a maioria de nós não acredita ser possível vir a estar sentado numa destas mesas na condição de pessoa sem abrigo ou em risco. Mas, a realidade revela que pode não ser assim tão remota esta hipótese. E o que queremos hoje é que todos os Paulos sintam que não estão sozinhos, que não os vamos deixar sozinhos. Os nossos voluntários, além de hoje, lutam nas ruas 365 dias por ano por todos eles, não deixando que ninguém fique para trás, na rua, sem uma palavra de conforto, uma refeição quente ou um agasalho.

rep 2

Idosos, jovens, famílias com crianças, portugueses, imigrantes. Com mais ou menos alegria no rosto, o almoço de Natal do CASA cumpriu-se por mais um ano e trouxe a experiência de restaurante a quem mais precisa, na cantina que serve diariamente os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa. 

Questionados, os nossos convidados apontam a paz e o amor como os seus grandes desejos neste Natal. Mas um presentinho cai sempre bem, não é? E do nosso almoço de Natal não saíram sem presentes! O Metropolitano distribuiu sacos com mantas quentes e a equipa da empresa PureFacts Financial Solutions, que contribuiu com cerca de 3 mil euros para a confeção do almoço, ofereceu golas quentes, lanternas e mochilas.

A música depois de almoço ficou a cargo da banda Nia e, no final, os nossos voluntários foram incansáveis a arrumar, lavar e limpar.

Cansados, mas de coração cheio, estamos certos de que estaremos cá no ano que vem para cuidar mais um pouco de quem também precisa de se sentir cuidado e protegido.

Noticias Locais

Parceiros


parceiros